Ciência da CriatividadeItália

Se você comer direitinho pode virar um Leonardo da Vinci

Mentira! Mas dá uma olhada neste estudo sobre a influência da comida na criatividade

Workshop gratuito "Os 28 Algoritmos das Mentes Criativas"

Não consigo pensar num nome melhor para uma orgia gastronômica

Quando penso em Itália, eu imediatamente penso em 3 coisas: comida, comida e comida. A cozinha italiana é com justiça considerada uma das melhores do mundo.

Então era meio óbvio que em uma viagem para a Itália eu aproveitasse todas as oportunidades para saborear um bom prato. Mas, ao mesmo tempo, não poderia esquecer o propósito principal desta jornada que é buscar referências relevantes sobre criatividade.

Fiz uma pesquisa e encontrei um estudo feito por três cientistas holandeses que tentaram provar a relação da comida com o aumento da criatividade.Não sei se conseguiram, mas o tema é uma delícia.


Comida para Criatividade.
Tirosina promove pensamento profundo

“As evidências anedóticas sugerem que as pessoas criativas às vezes usam alimentos para superar bloqueios mentais e falta de inspiração, mas o suporte empírico para essa possibilidade ainda não existe. Neste estudo, investigamos se a criatividade em tarefas de pensamento convergente e divergente é promovida pelo suplemento alimentar L-Tirosina (TYR) – um precursor bioquímico da dopamina, que é assumido para impulsionar o controle cognitivo e a criatividade.”

Os cientistas holandeses Lorenza S. Colzato, Annelies de Haan e Bernhard Hommel, autores deste estudo, acreditam que a L-Tirosina pode facilitar as operações criativas. Por isso, os alimentos que comemos podem afetar a maneira como pensamos.

Steve Jobs, indiscutivelmente uma das mentes mais criativas do nosso tempo, muitas vezes se referia à sua dieta (que era baseada em maçãs e cenouras cruas) como o fundamento de seu sucesso. Sendo que esses alimentos são elevados no aminoácido tirosina, isso faz muito sentido.

Com a falta de uma definição de criatividade amplamente aceita, eles não tentaram abordar a criatividade como um todo, mas focado no que Guilford (1967) considerou os principais componentes do desempenho criativo: os conceitos de pensamentos divergentes e convergentes que são processos transparentes e, portanto, mais fáceis de investigar. Mais concretamente, investigaram o vínculo entre a suplementação de L-Tirosina e sua eventual influência

O que é tirosina

Entre todos os aminoácidos que atuam sobre o cérebro, a tirosina é a substância que mais influencia no seu funcionamento e no rendimento intelectual. Os estudos clínicos demonstraram que a L-tirosina ajuda à concentração, mesmo nas condições mais extremas, conseguindo que o corpo se mantenha desperto e alerta.

no pensamento convergente e no divergente em adultos saudáveis por meio de uma dose oral de L-Tirosina ou a de um placebo.

O pensamento divergente representa um estilo de pensamento que permite que muitas idéias novas sejam geradas, em um contexto onde mais de uma solução é correta – como numa sessão de brainstorming.

É mais gostoso comer um espaguete se você o inalar como um aspirador. Sofia Loren

O pensamento convergente, por sua vez, é considerado um processo de geração de uma solução possível para um problema particular. Enfatiza a velocidade e depende de alta precisão e lógica.

As alterações potenciais na fisiologia devido à suplementação de L-Tirosina foram medidas pela observação da frequência cardíaca e da pressão sanguínea.

Os resultados do estudo apontaram que aparentemente a enzima colaborou em elevar o controle cognitivo em geral e a criatividade em particular.

Conclusão:
Mamãe tinha razão.

 

close

Cadastre-se na nossa Newsletter

Política de Privacidade

Fonte
Springer-Verlag Berlin Heidelberg
Mostre Mais

Henrique Szklo

Nascido em Belo Horizonte (MG) e graduado em Publicidade e Propaganda pela FAAP, Henrique exerceu durante 18 anos a profissão de publicitário na área de criação, como redator e Diretor de Criação. Hoje é estudioso da criatividade e do comportamento humano, escritor, professor, designer gráfico e palpiteiro digital. Desenvolveu sua própria teoria - NeuroCriatividade Subversiva - e seu próprio método - Gestão do Pensamento. É professor no MBI da UFSCar, escreve no site Proxxima (M&M), é coordenador do curso de criatividade da Escola Panamericana de Arte e Sócio da Escola Nômade para Mentes Criativas. Tem 8 livros publicados (humor e criatividade) e é palestrante de sucesso com passagens pelas principais capitais do país. É palmeirense.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios