A História das Coisas

Mãos ao alto ou eu arremesso meu iô-iô

A história fascinante do brinquedo que nasceu como arma

Workshop gratuito "Os 28 Algoritmos das Mentes Criativas"

Não há consenso entre os historiadores, mas alguns registros históricos que remontam ao século XVI, indicam que caçadores filipinos usaram o iô-iô como arma por mais de 400 anos. Era grande, feito com duas pedras no lugar dos discos, tinha bordas afiadas e tachas, e estava preso a cordas de 6 metros.

Os caçadores se escondiam atrás das árvores e lançavam o iô-iô sobre animais ou inimigos, garantindo que a corda enrolaria de novo em volta do aparato bélico, possibilitando outros ataques.

Iô-iô é uma palavra derivada do tagalo, a língua nativa das Filipinas, e significa “voltar”

Outras histórias

Alguns dizem que o ioiô existe há mais de dois mil e quinhentos anos, sendo considerado o segundo brinquedo mais antigo da história (o mais antigo é a boneca). Uns dizem que vem da Grécia antiga, era feito de madeira, metal e terracota e os gregos decoravam as laterais do ioiô com imagens de seus deuses.

Outros dizem que foi inventado na Índia, e outros ainda que foi na China. Mas muitos acreditam que o iô-iô teve mesmo sua origem nas Filipinas.

Por volta de 1800, o iô-iô chegou na Europa. Os ingleses o chamavam de “Bandalore”, “Quiz” ou “Brinquedo do Príncipe de Gales”. Os franceses usavam o nome “Incroyable” ou “l’emigrette”.

Popularização

O iô-iô desembarcou nos Estados Unidos na década de 1920. Pedro Flores, imigrante filipino, começou a fabricar um brinquedo com esse nome. Flores foi a primeira pessoa a produzir ioiôs em larga escala em sua pequena fábrica de brinquedos na Califórnia. Em pouco tempo, chegou a produzir 300.000 unidades.

Donald Duncan, um empresário bem sucedido da época, comprou os direitos de Flores em 1929, registrando o nome Yo-Yo.

A primeira evolução tecnológica do brinquedo promovida por Duncan foi a corda de deslizamento: um laço deslizante ao redor do eixo em vez de um nó, proporcionado a possibilidade do truque chamado “dormir”, em que o iô-iô fica girando na extremidade do barbante esticado. Só durante o ano de 1962, a Duncan Company vendeu 45 milhões de ioiôs apenas nos Estados Unidos.

Iô-iô chinês

Iô-iô, um sobrevivente

O iô-iô permanece vivo, mas têm seus ciclos de vendas desde então. Altos e baixos como sua própria essência. Porém, os truques e manobras não pararam de evoluir e hoje é praticado profissionalmente em competições ao redor do mundo.

Curiosidades sobre o iô-iô

  • Nos Estados Unidos (onde mais?) existe o Dia Nacional do Iô-iô, comemorado todo 6 de junho.
  • O maior iô-iô do mundo tem 116 kg e está exposto (onde mais de novo?) no The Nacional Yo-Yo Museum, na Califórnia.
  • Em 1992, um io-iô foi para o espaço pelas mãos do astronauta Jeffrey Hoffman no Ônibus Espacial Atlantis.
  • No vídeo abaixo, o astronauta da NASA, Don Pettit, usa seu tempo de folga para praticar suas habilidades de iô-iô em microgravidade.

close

Cadastre-se na nossa Newsletter

Política de Privacidade

Mostre Mais

Coord. Pedagógica

Equipe multidisciplinar composta por filósofos, psicólogos, sociólogos, antropólogos, semiólogos, zoólogos, paleontólogos, teólogos, epistemólogos, tarólogos, bacteriólogos, monólogos, ufólogos, podólogos e egiptólogos, responsáveis por definir os caminhos pedagógicos da Escola Nômade para Mentes Criativas,

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios