Amaral – Entidade que habita nosso cérebro com a capacidade de pensar em qualquer coisa, sem julgamento. Um ser amoral, separado de nossa consciência, nossas crenças e visão de mundo. Graças ao Amaral, conseguimos criar sem a preocupação de estarmos indo contra a nosso própria lógica.

Aschismo – Tendência natural dos seres humanos de seguir a opinião da maioria de seu grupo social ou do grupo ao qual queira pertencer, de forma consciente ou inconsciente. Funciona também como aval para as opiniões que já constituídas.

Biblioteca do Pedrão – Local em nosso Bicho-Grilo onde se arquiva todo o acervo de informações que recebemos e construímos ao longo de nossa vida, nosso sistema de crenças, nossos padrões mentais. Possui o formato de um Castelo de Legos.

Calo Criativo – Criar se aprende criando. No começo, o desconforto em quebrar padrões é muito grande, pois o autêntico processo criativo envolve uma relação de atrito com nossas crenças. Portanto, o movimento repetitivo vai aos poucos criando um “calo” emocional que cada vez mais nos protege, diminindo o desconforto inerente ao exercício da criatividade.

Castelo de Legos – Nossa estrutura de crenças. Cada nova informação que recebemos e decodificamos se transforma em uma peça de lego que é conectada à estrutura. Ao longo dos anos vai ficando mais difícil realocar peças localizadas nos níveis mais baixos de nossa construção. Quando nos deparamos com uma informação criativa, a tendência é rejeitá-la, já que não a encontramos em nosso castelo.

Cérebro Bicho – O nosso cérebro é dividido em duas partes. O Bicho é o correspondente ao inconsciente, responsável por todos os processos automáticos utilizados pelos indivíduos.

Cérebro Grilo – O nosso cérebro é dividido em duas partes. O Grilo é o correspondente do consciente, responsável pela razão, pela capacidade de nos identificarmos e nos percebermos como indivíduos, responsável pelo controle da ação voluntária do sistema muscular esquelético.

Código Binário de Axiomas Pessoais – A estrutura biológica de nosso Bicho-Grilo nos faz maniqueístas, ou seja, ou estamos “certos” ou estamos “errados”. O meio termo é um conceito que exige raciocínio, a razão, portanto, distante do controle de reações espontâneas.

Comparômetro – Ferramenta utilizada por nosso Bicho-Grilo para auxiliar na associação de ideias, pois cria um paralelo entre algo desconhecido e algo conhecido, facilitando sua compreensão e interpretação.

Criarreia – Precisamos colocar para fora qualquer pensamento que estiver passando por nossa cabeça durante uma atividade criativa. Como é comum acreditarmos que “só pensamos merda”, a Criarreia nos leva a eliminar o julgamento natural promovido por nosso filtro social, permitindo que informações das mais diversas procedências, sem nenhum preconceito, se apresentem para nos auxiliar no esforço criativo.

Criatividade – Todo animal é dotado da capacidade de improvisar diante de situações inusitadas. O ser humano, em razão do extraordinário aumento de sua potência cerebral, elevou esta faculdade a níveis admiráveis. Improvisa quando quer, quando é contratado para improvisar, improvisa até sem querer. Criatividade, portanto, é a evolução promovida pela espécie humana da inata capacidade animal de engendrar soluções para problemas inéditos. Não é dom, apenas uma ferramenta biológica de adaptação.

Critério Invisível – Durante uma tomada de decisões, nos curvamos a uma necessidade inconsciente de escolher o que nos deixará mais confortáveis. E para tanto, às vezes produzimos justificativas estapafúrdias para avalizar o caminho escolhido, chegando, inclusive, a acreditar nelas como verdades incontestáveis.

Curral Social – Fenômeno que faz com que as pessoas de um mesmo grupo ajam da mesma forma, funcionando como gado dentro de um curral. É o efeito manada.

Desconexão – Técnica que prega um desligamento temporário do criativo com um trabalho ainda em fase de construção. Deixar de se relacionar com ele por uns tempos afim de oxigenar o cérebro e, na volta, conseguir exercer um senso crítico mais isento, além de trazer novas visões e novas formas de enxergar o todo.

Dezpertamento Criativo – Método de desbloqueio criativo. O nome surgiu porque criatividade não se aprende, se desperta. Todo mundo é criativo. Porém, algumas pessoas têm a sua capacidade criativa adormecida, mas ela está lá.

Dilema de Monkey – A cada decisão, pequena ou grande, que temos de tomar durante nossas vidas, sentimos o dilema entre fazer o que já é conhecido (Padrão) e tentar uma coisa nova.

Diretiva Primária – Plantas e animais nascem, crescem e morrem sob uma lei invisível e inquestionável estabelecida por seu gene: “Sobreviva a qualquer custo!”, ou seja, a Diretiva Primária. E para que ela seja cumprida a contento, vários comandos são acionados: prolifere, compita, alimente-se, adapte-se e, no caso de algumas espécies como o Homo sapiens, viva em grupo. Mesmo sem percebermos, todo o nosso comportamento é orientado para o cumprimento da Diretiva Primária e seus comandos.

Efeito Supositório – Com o propósito de economizar energia, nosso Bicho-Grilo evita analisar detalhadamente cada nova situação que vivemos. Tira conclusões a partir de suposições baseadas em nossas experiências anteriores, nem sempre levando em consideração uma eventual diferença de cenários. Mesmo assim as consideramos como certezas inquestionáveis. Temos convicção de que vimos o que nossos olhos não viram ou que ouvimos o que não foi dito.

Embaixador Sensorial – Nos identificamos com pessoas, instituições, grupos que de alguma forma nos represente, mesmo que não tenhamos nenhum tipo de contato ou familiaridade com eles. Porém, somos impactados por qualquer evento que com eles ocorra. Os Embaixadores Sensoriais nos representam.

Esfarrapadium – Fenômeno muito comum em nossa espécie. Como a sensação de estar “errado” é massacrante para o nosso sistema emocional, temos a tendência de encontrar sempre uma desculpa, muitas vezes esfarrapada, para justificar o ato, o pensamento, o sentimento. E, em geral, acreditamos do fundo da nossa alma nesta justificativa, tomando-a como uma verdade incontestável.

Estatuto de Aprovação Mutual – Nosso gene definiu há tempos que nossa espécie precisa, obrigatoriamente, viver em grupo. E para que esta diretriz seja devidamente seguida, somos dotados de uma necessidade incontrolável de sermos aceitos, ou seja, de sermos aprovados pelos outros de nossa espécie. Somos todos então, em tempo integral, julgadores e julgados.

Estrela de dentro – União dos cinco elementos responsáveis por influir no comportamento humano e, consequentemente, de sua capacidade criativa: Código Genético, Padrões Adquiridos, Opinião dos Outros, Inconsciente Coletivo e Ambiente Físico-Social.

Feriado Interno – Toda nova informação que recebemos, para ser absorvida pelo Bicho-Grilo, precisa ser decodificada e processada. Uma operação trabalhosa que mexe com nossa estrutura de crenças e padrões, provocando desgaste de energia e um consequente desconforto. Daí a tendência de preferirmos as situações onde, em razão de nossa grande familiaridade, possamos oferecer uma folga ao Bicho-Grilo.

Gangorra Vital – Nosso comportamento é fruto de uma série de componentes químicos e físicos que fazem com que sejamos mais ou menos agressivos, mais ou menos ansiosos, mais ou menos corajosos e etc. Não existe “certo” ou “errado”, apenas opções diferentes, necessárias para promover mais chances de sucesso ao nosso gene. Cada ferramenta comportamental, em função de sua intensidade, promove diferentes resultados, geralmente antagônicos. Daí a imagem da gangorra. Mas não importa sua posição, você terá sempre vantagens e desvantagens em relação ao ambiente. Remédio e veneno são a mesma fórmula, a diferença está na dose.

Hímem do Pedrão – Sistema de defesa de nossa estrutura de crenças. De forma instantânea e automática negamos veementemente qualquer possibilidade de quebra de um padrão. Porém, alguns segundos de raciocínio lógico podem nos fazer repensar o assunto e o que era “impossível” pode passar a ser considerado viável. Não fosse assim, não conseguiríamos criar nem manter nossos padrões, já que qualquer interferência externa facilmente mudaria nossa opinião.

Hormônios Disciplinares – Hormônios responsáveis pelo controle de nosso comportamento, utilizando como ferramentas o prazer e a dor. Se estamos “certos”, ou seja, dentro dos padrões, recebemos uma dose do hormônio “Parabéns a você”, que vai nos proporcionar prazer e nos alertar de que estamos no caminho correto. Já, se estivermos “errados”, ou seja, fora dos padrões, receberemos uma dose do hormônio “Você é um idiota”, que nos deixará claro que o caminho escolhido é equivocado. Mas “certo” ou “errado” para quem? Ora, para o nosso Pedrão, que controla todo nosso sistema de crenças. Daí a dificuldade de criar, já que uma nova visão sempre nos provocará desconforto.

Honesting – Capacidade do indivíduo de trazer a tona, por meio de um produto criativo, todas as emoções contidas em seu consciente e inconsciente, sem julgamento, sem preconceito e sem diferenciação entre o bom e o ruim.

Índice de Aprovação Individual – Valor abstrato que retrata nossa percepção pessoal do quanto somos aceitos ou não pelos outros. Nascemos, crescemos, vivemos e morremos desejando praticamente uma coisa: sermos aprovados como indivíduos ou, o que se costumou dizer, sermos amados. Está diretamente relacionado ao comando “Viva em grupo” determinado pelo Genésio.

Indutor – É a semente do pensamento criativo. Quando começamos a criar, as possibilidades são infinitas, O indutor é aquele que diminui o leque para que o cérebro consiga se organizar, afinal o cérebro só consegue pensar em uma coisa por vez. Precisamos de um primeiro passo que desencadeie todo o processo criativo. Um elemento de qualquer natureza que seja capaz de estimular e induzir o cérebro a seguir um caminho específico, colaborando decisivamente para a criação de novas ideias.

Indutor Base – É primeiro indutor que surge durante o desenvolvimento de uma ideia. A partir dele, outros indutores surgirão.

Inteligência Criativa – Capacidade de resolver problemas de forma criativa.

Linguagem Universal Cognitiva – Código binário gerado pelo X-Tudo com o objetivo de unificar a compreensão de todos os animais em relação aos fenômenos naturais, interferindo diretamente em seu comportamento. Consiste apenas em prazer e dor.

Listas Mentais – Cada neurônio é capaz de realizar milhares de conexões com outros neurônios. No Bicho-Grilo, cada palavra, conceito, imagem, cheiro e sentimento possui uma lista imensa de conexões e associações, muitas vezes inexplicáveis. Estas são as chamadas Listas Mentais. São parte fundamental do pensamento criativo, já que este é resultado de novas e inéditas conexões, a que comumente chamamos de “associação de ideias”.

Listas Mentais Primárias – Produzimos em nosso Bicho, Listas Mentais que organizam todo o nosso repertório. Destas, três são consideradas Primárias por estarem relacionadas ao suporte emocional do indivíduo, ou seja, o que ele acredita ser fundamental – TER, SER e SABER – para uma completa realização como ser humano. O Bicho-Grilo faz um check list constante, conferindo de forma persistente e ininterrupta se aquilo que esperamos de nós mesmos e da vida está se realizando ou não.

NeuroCriatividade Subversiva – Teoria que é resultado de uma investigação divertida e estimulante, criada por Henrique Szklo, sobre a atividade cerebral associada à criatividade e aos processos criativos.

NeuroGúgou – Nosso repertório (Biblioteca do Pedrão) está guardado no Bicho no formato de um banco de dados. O Neurogúgou é o sistema de busca que vai encontrar, assim que solicitado, todas as informações relativas a algum conceito. Ao pensarmos em uma maçã, por exemplo, o Bicho faz uma busca e instantaneamente temos acesso a uma série de informações relacionadas a ela, gerando uma Lista Mental.

Neurônios Virgens – Neurônios ainda não utilizados, prontos para serem conectados a alguma informação nova que o Bicho-Grilo processar. Responsáveis pela nossa capacidade de criar, de aprender e de memorizar. Têm o formato de peças de lego transparentes. Ao receberem algum conteúdo, perdem a virgindade, ganham uma cor e são enviados ao nosso Castelo de Legos para serem devidamente encaixados em um local apropriado de nosso sistema de crenças.

Novidades Inofensivas – Novas informações que, de tão parecidas com as velhas, passam despercebidas por nosso sistema de proteção de padrões. E mais: muitas vezes provocam até um pequeno prazer.

Opinião dos Outros – Nosso gene definiu há milhares de anos que nossa espécie deveria obrigatoriamente viver em grupo. Isso gerou uma série de comportamentos inconscientes, entre eles a extrema preocupação com a opinião dos outros. Um elemento determinante de nosso comportamento como indivíduo e como espécie. Conhecido também como Pedrão-Rei. O fato de estarmos fora dos padrões quando utilizamos a criatividade provoca uma natural sensação de que seremos reprovados pelos outros. Daí a dificuldade de criar. E a Opinião dos Outros só perde sua influência quando entra em confronto com a Diretiva Primária, ou seja, quando a integridade do indivíduo está em jogo.

Padrão Inefável – Padrão que não está relacionado a conceitos, ideias e pensamentos. São padrões não-verbais, responsáveis pelo gestual, pelo comportamento, pelas percepções e pelo conhecimento subjetivo.

Padrão Esquizofrênico – Quando dois lados de uma mesma questão são considerados pelo Bicho-Grilo igualmente “certos” ou “errados”, provocando um imenso desconforto em função de nossa incapacidade de definir um dilema conceitual.

Padrões – Uma das mais importantes maneiras de seguir a Diretiva Primária (Sobreviva a qualquer custo), é a economia de energia corporal. E uma das mais importantes maneiras de se economizar energia corporal é diminuindo o consumo de energia pelo Bicho-Grilo. Por isso, construímos padrões. Processos mentais adquiridos que se repetem sem a utilização do raciocínio, ou seja, se manifestam de forma automática.

Parabéns a você! – Hormônio Disciplinar responsável por informar ao indivíduo, através do prazer, que ele está “certo” em relação ao seu conjunto de crenças, aos seus padrões, ao seu Castelo de Legos.

Partos Cerebrais – Cada nova informação que recebemos exige grande dispêndio de energia em nosso Grilo para seu devido processamento, ou seja, quando “nasce” alguma coisa dentro de nós, quando temos de enfrentar o novo, sentimos uma verdadeira dor de parto.

Pedrão – Entidade responsável por controlar nosso comportamento. O senhor do nosso Castelo de Legos. Nosso filtro social. Tudo o que fazemos, pensamos e agimos passa por seu crivo. Para que estejamos sempre de acordo com nossa programação mental ele nos alerta utilizando os Hormônios Disciplinares, que nos provocam prazer ou dor, dependendo da circunstância.

Pedrão Pessoal X Pedrão-Rei – Pedrão Pessoalé aquele criado e mantido por indivíduos e o Pedrão-Rei representa o conjunto de crenças de um grupo, ou seja, a Opinião dos Outros.

Pense 7 Minutos – O simples ato de refletir, de não se deixar levar pelos padrões, pelo que todo mundo pensa, pelo senso comum. É a mola propulsora da Subversão.

Placa Verde – A base do Castelo de Legos é o nosso código genético. Nascemos sabendo, sim. Mas muito pouca coisa. Nossa Placa Verde vem de fábrica com informações fundamentais para a sobrevivência em nossos primeiros instantes: mamar, chorar, fazer xixi, coco, e todos os outros componentes instintivos necessários para um início de vida. A partir daí, todo o resto teremos de aprender com as nossas experiências pessoais e intransferíveis.

Processo House – Capacidade de nosso cérebro de funcionar em segundo plano, de forma inconsciente, para tentar resolver problemas relevantes.

Pupila Cerebral – O desconhecido é como uma caverna escura. E Criatividade é o ato de visitar esta caverna. Mantendo-se por algum tempo na escuridão conceitual o Bicho-Grilo desenvolve a capacidade de ampliar sua pupila (igualmente conceitual), o que lhe proporciona a capacidade não de enxergar perfeitamente, mas de reconhecer sombras, o que diminui o desconforto do processo.

Rádio Cachola – Nosso cérebro, a fim de acumular sempre mais informações para melhorar suas chances de sobrevivência, mantém-se sintonizado com qualquer informação que de alguma forma agregue novos componentes às suas crenças mais arraigadas.

São Magaiver – Santo protetor da Criatividade, ou seja, da capacidade de nos adaptarmos à novas situações de maneiras inusitadas. Por motivos óbvios, para o Pedrão ele é o diabo..

Sétimo sentido – A Razão. Até prova em contrário, só o ser humano possui esta ferramenta que, entre outros atributos, é capaz de avaliar as sensações captadas pelos outros sentidos e decidir se as aceitará ou não. Além disso, nos capacitou a questionar, impulsionando de forma extraordinária a nossa capacidade de adaptação e de sobrevivência.

Sr. Takatudo Nakacha – Responsável por fazer o cadastramento completo de toda nova informação que recebemos por meio de nossos sentidos. Coloca rótulo em tudo para que nosso cérebro possa resgatar as informações quando necessário.

Subversão – O pensamento subversivo é a negação do óbvio, do senso comum, dos padrões vigentes. Uma provocação, um jeito diferente de pensar, um olhar diferente para os fenômenos que nos rodeiam.

Subversão Aplicada – Método de despertamento criativo, com técnicas, dinâmicas, práticas e provocações em geral.

Te vira, mané! – Uma técnica simples e eficiente, baseada na obrigação em se realizar uma tarefa, pois temos a tendência a desistir de um desafio diante dos obstáculos que sempre surgem.

Terceiro Padrão –Toda ideia nasce da união entre dois ou mais padrões. Tem DNA, tem pai e tem mãe. O Terceiro Padrão é a filha que surge deste relacionamento, ou seja, uma ideia nova.

Trilhos Mentais – Nosso pensamento caminha sobre trilhos de trem. Um caminho totalmente definido, sem nenhum tipo de alteração. O Bicho-Grilo gosta de viajar neste trilho porque imagina que não haverá surpresas. Ele conhece o início, o meio e o fim desta viagem.

Ungebunden – Ungebunden é a Shangrilá do Homo criativus. É o espaço sagrado onde o mundo das ideias encontra seu equilíbrio, sua força. Ungebunden simboliza a extrema importância do ambiente no desenvolvimento do pensamento criativo. Só os gênios criam em qualquer circunstância. Nós, os simples mortais, precisamos de um ambiente favorável e estimulante. Precisamos de Ungebunden.

Você é um Idiota! – Hormônio Disciplinar responsável por informar ao indivíduo, através da dor, que ele está “errado” em relação ao seu conjunto de crenças, aos seus padrões, ao seu Castelo de Legos.

Zona de Familiaridade – O mesmo que zona de conforto.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Fechar

Bloqueador de Anúncios Detectado

Considere dar uma força pra gente desabilitando seu bloqueador de anúncios