Criativerso

“Era mais criativo quando criança, bebê?”, com Henrique Szklo

Mais um CRIATIVERSO com Henrique Szklo, desta vez falando da importância do espírito infantil no processo criativo

Mais um CRIATIVERSO com Henrique Szklo, desta vez falando da importância do espírito infantil no processo criativo.

A gente nasce livre, criativo e inocente
E aos poucos a vida vem e oprime a gente
Manipula bem o nosso espírito fraco
Família, escola, religião e trabalho
A gente fica feito um espantalho
E a criatividade vai direto pro buraco

Têm razão os que nos chamam gado
Co’esse cérebro rígido e controlado
Adotamos um conforto corrosivo
De pensar igual a todo mundo
Abafando um sentimento profundo
A saudade de ser criativo

Mas não precisa se desesperar
Ainda há tempo de voltar
Nunca perca a esperança
Pra ficar criativo novamente
Basta abrir a sua mente
E voltar a ser criança

Criança não tem vergonha do que pensa
Não conhece lei, dogma ou crença
Não tem responsabilidade
Então seja adulto, não faça pirraça
E aprenda o que elas ensinam de graça
Como usar a criatividade

Trilha de fundo : “A Baroque Letter”, de Aaron Kenny

Mostre Mais

Lena Feil

Gaúcha de nascimento e cidadã do mundo por opção, é formada em Desenho Industrial e Psicologia, é feminista e pensadora em período integral. Usa o cérebro para entender o cérebro. Estudiosa do comportamento e da criatividade, entusiasta da vida, viciada em novidades, em filosofia, no ser humano e em coisa mundanas também. É absolutamente fascinada por crianças, adora café, ama viajar, é geralmente divertida, e – às vezes – esnobe. Hoje, atua com Coolhunter da Escola Nômade para Mentes Criativas, sempre em busca do que existe de mais subversivo, inteligente e relevante em todas as partes do mundo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo