Blog do Henrique Szklo

Importância do ambiente no processo criativo (Parte 2)

Segunda parte do artigo sobre como somos influenciados pelos ambientes que frequentamos

Leia a primeira parte deste artigo

A Criatividade é como uma planta: cresce mais e mais forte em ambientes favoráveis. É claro que existem plantas que possuem maior resistência às intempéries, que nascem no deserto. Assim também são as ideias. Quem quer realizar um trabalho criativo precisa ter isso em mente. O ambiente é um elemento preponderante no processo criativo. Seja ele o ambiente físico ou o social.

Não precisamos de muito para sofrermos um bloqueio. Não precisamos de muito para desistir de criar. Não precisamos de muito para decidir que não vale a pena quebrar padrões, que não vale a pena sermos subversivos. Por isso, bastam detalhes para derrubar um ambiente. É preciso arar a terra, colocar a semente com cuidado, regar, colocar nutrientes, proteger das intempéries e colher no momento certo. Sim, uma ideia tem tudo a ver com uma planta. Os indutores¹ são as sementes.

Mas aí você pergunta: não é verdade que muitas ideias importantes surgiram em momentos desesperadores, estressantes, desconfortáveis? E eu respondo: é verdade. Porém, é preciso lembrar que existem dois momentos diferentes em que o processo criativo se manifesta em nosso cérebro: quando estamos em perigo e quando queremos. O primeiro associado à Diretiva Primária², portanto, atávico. E o segundo, em função de sua natureza, necessitando da força da razão e do raciocínio para se estabelecer.

E lembre-se que para o cérebro, criar sem precisar, ou seja, sem estar solucionando um problema urgente de sobrevivência, não é e nem nunca será uma prioridade. E é sobre este cenário que me refiro quando falo da importância do ambiente. Do estímulo constante e necessário para se manter o espírito criativo. Porque se deixarmos no automático, nosso cérebro certamente vai optar pela zona de conforto/familiaridade que é não criar nada, apenas manter o estado das coisas como estão.

Siga o mestre Joseph Campbell!

Joseph Campbell e o Lugar Sagrado

Joseph Campbell, o grande mitólogo estadunidense, que se você não conhece, deveria conhecer, dizia muitas coisas que convergem com o meu pensamento. Ele cunhou a frase que muitos admiram e utilizam como inspiração para suas vidas, pessoal e profissional: Follow your bliss. Numa tradução não literal, ele quis dizer que as pessoas devem descobrir para o que é que elas estão aqui. Qual é a sua verdadeira vocação. Sua essência. O que vai fazer a sua vida valer a pena. Não apenas os padrões que você adquiriu por imitação e aceitou como seus. Não. Campbell nos convida a refletir sobre nossa verdadeira “felicidade”. E a partir do momento em que você descobrir qual é a sua, qual é sua bliss, é só botar sua energia e foco sobre ela e ir em frente. Mesmo que seja uma coisa fora de padrão, que os outros não compreendam, ou que você mesmo não compreenda direito, mas saiba no fundo de sua alma que é aquilo que você quer de verdade. Isso vai fazer de você uma pessoa mais realizada. Mais equilibrada. Vai promover harmonia, sucesso (qualquer que seja o significado desta palavra para você). “Siga sua felicidade e portas se abrirão onde você nem sabia que havia portas”, dizia o mestre Campbell.

É como se todo mundo pegasse o mesmo trem sem nem ao menos saber a razão. Simplesmente o trem passa, abre suas portas e você entra. Mas por quê? Só porque todo mundo está dentro do trem? E daí? Isso por si só significa que estão todos “certos”? Fazendo o que é melhor para eles? Ou estão apenas seguindo seus instintos primários de seguir o rebanho, numa evidente manifestação de Aschismo³? A maioria das pessoas, ao longo de boa parte de suas vidas, desejam estar no trem, na cabine de primeira classe, sentadas na janelinha. Mesmo sem saber qual é sua real motivação, sem saber qual é o destino do trem, desejando ardentemente esse status quo. Tanto que é muito comum ter inveja de quem o alcança. E nem sabe-se porque querer aquilo. Só se percebe que toda essa situação as deixa muito infelizes.

Você entra num trem sem saber para onde ele vai?

É interessante sermos um pouco mais consciente. Quando passa algum trem, é bom se informar direitinho: onde ele vai, que paradas vai fazer, seus horários, ou seja, entender se aquele trem específico nos serve de fato ou é apenas mais um comboio que devemos deixar partir e esperar por aquele que nos levará onde queremos de fato ir.

Procure seu Ungebunden

Para que a gente possa follow our bliss, Campbell sugere que é importante criar o que ele chamou de Lugar Sagrado e que eu chamo de Ungebunden, aquele lugar especial em que você possa ser você, onde você se sinta à vontade para realizar seus desejos e sonhos, onde você não tenha medo de tentar, não tenha medo de errar, não tenha vergonha. Onde você se sinta inteiro, confortável, confiante. É fundamental encontrar este lugar, que pode ser físico (um quarto, um escritório, um banheiro) ou conceitual (passeando com o cachorro, nadando, dirigindo numa estrada).

Procure seu Lugar Sagrado, seu Ungebunden

Uma questão de idade

A química ideal num ambiente que se proponha criativo é a mistura de indivíduos jovens com outros mais experientes. Só experientes ou só jovens num ambiente profissional provavelmente irá reduzir o potencial criativo e o resultado do trabalho em função das competências e deficiências de cada grupo.

Jovens e experientes trabalhando juntos geralmente produzem os melhores resultados

Os jovens têm menos padrões e por isso mesmo têm mais ideias inusitadas e não convencionais, mas esse cenário é prejudicado por seu repertório reduzido, falta de conhecimento histórico e experiência no trato com a criatividade.

Já os mais experientes têm mais e mais cristalizados padrões, portanto sua capacidade de produzir ideias genuinamente novas está prejudicada. Porém, seu extenso repertório, familiaridade com o processo criativo e conhecimento de todos os atalhos para se chegar a uma ideia o auxilia na solução de problemas.

Unindo estes dois grupos, teremos o melhor do melhor. Padrões, capacidade de criar e repertório em equilíbrio. Sem contar a competição, que é uma das principais molas propulsoras da criatividade.


Indutor¹ – É a semente do pensamento criativo. Quando começamos a criar, as possibilidades são infinitas, O indutor é aquele que diminui o leque para que o cérebro consiga se organizar, afinal o cérebro só consegue pensar em uma coisa por vez. Precisamos de um primeiro passo que desencadeie todo o processo criativo. Um elemento de qualquer natureza que seja capaz de estimular e induzir o cérebro a seguir um caminho específico, colaborando decisivamente para a criação de novas ideias.

Diretiva Primária² – Plantas e animais nascem, crescem e morrem sob uma lei invisível e inquestionável estabelecida por seu gene: “Sobreviva a qualquer custo!”, ou seja, a Diretiva Primária. E para que ela seja cumprida a contento, vários comandos são acionados: prolifere, compita, alimente-se, adapte-se e, no caso de algumas espécies como o Homo sapiens, viva em grupo. Mesmo sem percebermos, todo o nosso comportamento é orientado para o cumprimento da Diretiva Primária e seus comandos.

Aschismo³ – Tendência natural dos seres humanos de seguir a opinião da maioria de seu grupo social ou do grupo ao qual queira pertencer, de forma consciente ou inconsciente. Funciona também como aval para as opiniões que já constituídas.

Mostre Mais

Henrique Szklo

Henrique exerceu durante 18 anos a profissão de publicitário na área de criação, como redator e Diretor de Criação, mas hoje já está curado. É Filósofo da Criatividade, professor, palestrante e palpiteiro digital. Desenvolveu sua própria teoria – NeuroCriatividade Subversiva – e seu próprio método – Dezpertamento Criativo. É colaborador no site Proxxima (M&M), no Blog Café Brasil e coordenador do curso de criatividade da Escola Panamericana de Arte. Tem 8 livros publicados (humor e criatividade) e é palmeirense.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Fechar
Fechar

Bloqueador de Anúncios Detectado

Considere dar uma força pra gente desabilitando seu bloqueador de anúncios